corretor de crédito consignado

Como ser um corretor de crédito consignado?

Corretor de EmpréstimosComo ser um corretor de crédito consignado?

Uma profissão que já rendeu muito dinheiro para algumas pessoas e continua sendo uma boa profissão para quem acredita nela.

A pessoa interessada em se tornar um Corretor de Empréstimos, primeiramente deve ter um caráter idôneo e muita transparência com seus clientes. Este mercado já foi muito sujo, por pessoas mal intencionadas que acabaram de certa forma “Queimando” a categoria. 

Porém os Corretores que sempre agiram corretamente com seus clientes, automaticamente sempre tiveram sua carteira fixa, e o cliente sempre que precisar de dinheiro irá procurar o seu corretor de confiança.


O que o corretor de crédito consignado vende?

Vale lembrar que, o Corretor de Empréstimos, vende nada mais e nada menos que DINHEIRO! Portanto, a confiança entre Cliente x Corretor tem que ser muito grande, e confiança se conquista com respostas firmes, postura correta e resolução dos problemas do cliente com agilidade.

Quem pode ser um corretor de crédito consignado?

Qualquer pessoa pode se tornar um corretor de empréstimos, pois não existe um sindicato ou uma associação da categoria que dita normas e regras para quem deseja ingressar na profissão. Obviamente, é necessário que a pessoa interessada, seja no mínimo alfabetizada e tenha facilidades com contas.

Os interessados, podem contar com diversos correspondentes a nível nacional para oferecer os serviços. Sendo que os Corretores, trabalham exclusivamente por comissões. O Seu sucesso vai depender muito do apoio que você terá na sua fase inicial, pois alguns correspondentes, fazem treinamentos e até liberam carteira de clientes para que você possa começar a trabalhar.

Quem é o público alvo do corretor de empréstimo?

corretor de crédito consignadoO Público alvo do empréstimo consignado, é sempre funcionários públicos (Estadual, Municipal, Federal e Militar) e aposentados e pensionistas do INSS. É necessário verificar com o correspondente que irá se cadastrar, se a cidade ou estado de atuação do corretor permite este tipo de empréstimo para seus funcionários.

Alguns corretores atuais, não trabalham com escritório montado em um determinado ponto comercial. Mas trabalham com a sua carteira de clientes que foi adquirida com o passar dos tempos, oferecendo o serviço na casa dos clientes (Como se fosse um corretor de seguros). Outros, já possuem escritórios montados, completamente pronto para atender o público. 


Existe ainda uma terceira categoria, que são as pessoas que vendem crédito consignado para seus clientes, apenas como uma oferta de mais um tipo de serviço. Por exemplo: Escritórios de Advocacia, Contabilidade, Lojas de Carros, Farmácias, entre outros estabelecimentos que agregaram o empréstimo consignado, como uma forma de atender o seu cliente em todas as necessidades.


Alguns Advogados por exemplo, oferecem o serviço de revisão de aposentadoria. Juntamente com isso, perguntam se o aposentado está precisando de dinheiro, explica os procedimentos e em muitos casos acaba efetuando o empréstimo para seu cliente. Além de ajudar seu cliente, ele fideliza o cliente e consegue ganhar uma comissão pela venda do empréstimo.


Outro exemplo, são as lojas de carros. Muitos lojistas estão disponibilizando o crédito consignado em suas lojas, como uma forma do cliente conseguir o dinheiro de uma entrada, ou em muitas vezes para pagar as documentações necessárias.


O fato meus amigos, é que são muitas as formas de se aderir o empréstimo consignado em algum outro negócio que já existe. Basta apenas, força de vontade e ideias inovadoras, pois o empréstimo é um produto que pode se oferecer em qualquer segmento, que tenha o público alvo como clientes.

 

Onde posso me cadastrar para ser um corretor de consignado?

O sucesso do seu negócio vai depender muito do apoio que terá no início.

Alguns correspondentes apenas atendem corretores que já tenham experiências com crédito consignado, ou seja, não abrem as portas para pessoas que tem potencial e queiram trabalhar. Este correspondente podemos descartar, pois se o apoio inicial não vem, significa que o interesse é apenas nos clientes dos corretores e não nos corretores.

Um bom correspondente, disponibiliza de uma boa equipe comercial para dar suporte nas operações, disponibiliza também uma equipe operacional, que acompanham os contratos entregues pelos corretores e informa sobre alguma pendência e já tentam resolver junto com o corretor e cliente.

Fora isso, é muito importante que o Correspondente tenha Gerentes Comerciais, pois a função destes gerentes é cadastrar os novos corretores e ajuda-los no que for preciso para aumentar as vendas. Isto é um sinal muito positivo, de que o Correspondente pensa e muito nos CORRETORES. Pois um correspondente que pensa somente nos clientes, está visando a longo prazo “roubar” a carteira deste corretor. Ao contrário de um correspondente que ajuda a produção do corretor, pois quer que este corretor sempre seja seu cliente.

São visões completamente diferentes, mas que causam um enorme impacto na produção do corretor. Pois um corretor que tem suporte, tem tudo para conseguir atingir bons resultados com o empréstimo consignado.

Digicred financeiraUm exemplo de correspondente que dá todo o suporte para seus corretores, é a Digicred Financeira.

A Digicred Financeira  é um correspondente que visa justamente ganhar os corretores do mercado. Tem uma estrutura totalmente voltada para este tipo de atendimento, juntamente com um setor operacional e comercial completamente preparados para dar o suporte necessário para os corretores.


A Digicred Financeira disponibiliza uma plataforma para ajudar você a gerenciar seus contratos, conseguir as melhores taxas para seus clientes, além de muitas outras vantagens.

Os interessados em se tornar Corretores de Empréstimos, poderão entrar em contato com a Digicred Financeira através de e-mail ou telefone. Para isso, acessem o site www.digicredfinanceira.com  ou através do telefone 47 3351 9383.

A Digicred Financeira trabalha de Segunda a Sexta-Feira, das 9:00 as 18:00 horas. O Cadastro é simples e rápido.


Vale lembrar que qualquer pessoa pode se cadastrar e trabalhar como Corretor de Empréstimo. Basta ter vontade de vencer e atender bem seus clientes.

Fonte: Blog Daniel Rodrigues

margem de 5% inss

Simule seu empréstimo com a nova margem INSS

Simule seu empréstimo no consignado do INSS com nova margem para empréstimo

Aumento da margem de 5% é aprovado no Senado

Na última quarta-feira, 10/03, o Senado aprovou a Medida Provisória do aumento da margem de empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do INSS de 35% para 40%.

Agora, o aumento da margem de 5% terá validade até 31 de dezembro de 2021. O percentual vai beneficiar, além dos aposentados e pensionistas do INSS, também os servidores públicos federais e trabalhadores do regime CLT.

Ainda de acordo com o texto aprovado, quando não houver lei específica definindo um percentual maior, os mesmos 40% valerá para servidores e empregados públicos, militares das Forças Armadas, ativos e inativos, e policiais e bombeiros militares.

Simular Agora

 

Margem aprovada segue para sanção

O Senado manteve o texto da medida provisória aprovada na Câmara de Deputados que aumenta em 5% a margem do empréstimo consignado.

Mantendo os 5% reservados para saques e pagamento do cartão de crédito consignado e os outros 35% para empréstimos e demais consignações.

Confira na tabela abaixo a simulação de como ficará a margem aprovada para algumas faixas de benefício do INSS.

Margem 5% emprestimo

 

O aumento da margem consignável foi defendido pelo Congresso Nacional como forma de ajudar nas finanças familiares e reduzir o endividamento dos aposentados e pensionistas.

A possibilidade de contratar um consignado, que possui uma taxa de juros menor, possibilita a esses beneficiários fugir dos juros exorbitantes praticados pelas chamadas “linhas de crédito pessoal”.

Veja mais detalhes sobre a tramitação da Medida Provisória 1006/2020.

 

Por que contratar com a margem de 5%?

Apesar do comprometimento de 40% da renda parecer excessivo, para os aposentados e pensionistas é fugir do superendividamento.

Já que muitas vezes as pessoas que contratam empréstimo consignado são provedoras da família e precisam manter as necessidades básicas.

Tomar empréstimos usando a linha do crédito consignado contribui para diminuir o endividamento dessas famílias devido à sua taxa de juros reduzida.

Aumentar a margem consignável dá possibilidade de fugir de juros abusivos de outras linhas de crédito e até mesmo agiotas.

O empréstimo consignado dá a opção de contratar em mais parcelas e com a taxa de juros menores, assim o aposentado ou pensionista pode pegar mais dinheiro.

Como fica a margem consignável após 2021?

Assim como aconteceu em 2020, após o fim da validade da Medida Provisória, as dívidas de consignado voltarão aos formatos anteriores.

Ou seja, a partir de janeiro de 2022 as contratações feitas durante o aumento temporário de margem permanecem.

Já as novas contratações ficam bloqueadas até que seja liberado o valor de 35% de margem novamente.

É importante observar também que os empréstimos consignados devem ser averbados até o dia 31 de dezembro de 2021.

Mesmo que sejam contratados até essa data, se não forem averbados eles poderão ser reprovados por falta de margem.

Contrate com a nova margem de 5%

A nova margem já esta liberada e você já pode contratar seu empréstimo com a Digicred.

Simular Agora

 

 

Fonte: Meutudo

 

 

O que é pix

O que é o PIX

O que é PIX? A revolução dos pagamentos

 

Na prática, entre suas várias funcionalidades, ele permite fazer transferências e pagamentos em até dez segundos (ao contrário de TED ou um DOC que podem levar horas ou até dias para acontecer), sendo que essas transações podem acontecer 24 horas por dia, em todos os dias do ano, inclusive nos finais de semana e feriados.

Com o PIX, também poderemos fazer transferências digitando apenas o celular ou CPF da pessoa que vai receber o valor, eliminando a necessidade de digitar todos os dados da conta.

Ou seja, acabou pros caloteiros de plantão…

E não só isso, também será possível fazer pagamentos em tempo real a lojas, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais, além de quitar contas de água e luz, e até recolher impostos.

Portanto, a dinâmica dos fluxos de pagamentos mudará de forma geral, sem necessidade de intermediários: o dinheiro vai da conta de origem direto para a conta destino.

Lembrando que hoje, para um pagamento eletrônico acontecer, é necessária uma conta origem e uma conta destino, mas também um emissor de cartão (banco), uma adquirente (dona da maquininha), uma bandeira de cartão e um processador (que conecta todos os intermediários).

Segundo o Banco Central, o PIX, além de aumentar a velocidade dos pagamentos e das transferências, tem o potencial de alavancar a competitividade e a eficiência do mercado, baixando o custo das transações e promovendo a inclusão financeira de pessoas desbancarizadas – já que não é preciso ter uma conta em banco para usar o sistema.

Como ficam os bancos e adquirentes nessa história?

O Banco Central do Brasil iniciou no dia 5 de outubro o cadastramento dos usuários pelas instituições no PIX, através de até três chaves (CPF para PF, CNPJ para PJ, número de telefone celular ou endereço de e-mail) em uma ou mais instituições de sua escolha. No momento, o PIX é o tópico mais monitorado no setor bancário, já que os participantes do mercado o veem como uma proxy de onde os clientes estabelecerão sua conta principal, farão transações e manterão relacionamento.

Segundo o analista de instituições financeiras da XP, Marcel Campos, a visibilidade do impacto aos bancos e adquirentes ainda é baixa justamente porque precisamos monitorar a aderência ao PIX. Portanto, a velocidade e o volume disso ainda são difíceis de quantificar, mas algumas linhas serão afetadas: receita de serviços de varejo, como TED, DOC, valor agregado de conta corrente, cartão de débito, boleto, cheque. Apesar da compensação pelo aumento da penetração do setor financeiro, ainda haverá receita caindo.

Olhando para frente, apesar da maior competição no setor bancário e dos impactos macroeconômicos, como potencial aumento da inadimplência devido à pandemia, as ações dos bancos estão significativamente descontadas. Na visão de Marcel, os preços das ações pioraram mais que os fundamentos das empresas. A potencial valorização, combinada aos dividendos atrativos pode trazer uma oportunidade aos investidores. Dentre seus nomes preferidos, estão Banco do Brasil e Bradesco. Veja abaixo as teses de Marcel Campos.

Bradesco e Banco do Brasil também fazem parte da nossa seleção de “queridinhas” da Bolsa de outubro. Segunda que vem teremos a atualização dessa seleção! Quer saber quais são as ações preferidas dos gestores e analistas do mercado? Só clicar aqui.

Banco do Brasil (BBAS3)

Barato, defendido e digitalmente competitivo
Banco do Brasil é a ação preferida de Marcel do setor bancário, com recomendação de Compra e preço-alvo de R$ 43,00. Ele acredita que o preço atual implica uma destruição de valor não coerente com a atual posição defensiva do banco, criando assim uma oportunidade de valor. Além disso, por ser digitalmente competitivo, possui uma vantagem relevante à medida que os novos participantes digitais se tornam concorrentes ferozes.

Operacionalmente defendido. Com empréstimos consignados e rurais representando 40% da carteira, Marcel acredita que os ativos do BBAS estão bem defendidos. Por outro lado, seu passivo se beneficiou do movimento de depósitos de clientes que buscaram liquidez, com poupanças, depósitos à vista e a prazo crescendo consideravelmente no início do ano, enquanto seu índice de capital nível I e de cobertura permanecem altos (que mostram solidez patrimonial e financeira). O banco ainda é menos dependente da receita de serviços, sua tesouraria é basicamente passiva (menos arriscada) e está menos exposto ao câmbio devido ao menor patrimônio líquido no exterior.

Digitalmente competitivo. O Banco do Brasil foi o primeiro a entrar no mundo digital. De 2012 a 2019, o Banco do Brasil investiu R$ 24 bilhões em tecnologia, o que resultou em um banco digitalmente competitivo. Para exemplificar, o banco possui a maior penetração em celulares Android, bem como o maior número de usuários ativos entrando no app. Por fim, o BB ainda possui boas avaliações de usuários e uma estratégia omnichannel coerente.

Bradesco (BBDC4)

Bancassurance
Marcel possui recomendação de Compra para o Bradesco e um preço-alvo de R$ 27. Na sua visão, o balanço do Bradesco é sólido e o banco está menos exposto a créditos mais arriscados do que em outras crises. Além disso, o negócio de seguros oferece ao banco uma defesa extra de curto prazo e melhores perspectivas de longo prazo. Por fim, os múltiplos atuais são atrativos com o banco negociando a 8,6x P/L e 1,3x P/PL, ambos em 2021.

Fonte diversificada de receitas. Como um dos maiores bancos múltiplos locais, o Bradesco alcançou uma fonte diversificada de receita; no 1T20, 31% da receita do banco vieram de seguros, enquanto os outros 69% vieram de operações de crédito, subsidiárias e receita de serviços. De fato, o banco possui: i) a maior seguradora do Brasil com 24% de participação de mercado; ii) a 3ª maior carteira de crédito, com R$ 480 bilhões; iii) a maior operação de varejo com 4,4 mil agências; iv) um dos maiores bancos de investimento, bem rankeado em fusões e aquisições, ECM, DCM, project finance etc. e; v) diversas subsidiárias, tais como Cielo, IRB, OdontoPrev, Fleury, Digio, Next, Elopar e outras.

Sinergia entre os negócios. A sinergia criada pelo banco entre seus negócios cria vantagens comparativas de longo prazo. Como exemplos, temos: i) o financiamento de varejo é usado para impulsionar o banco de atacado; ii) os produtos de seguros e empresas associadas são distribuídos através da capilaridade de varejo do banco; e iii) banco corporativo distribui os produtos bancários a grandes clientes corporativos.

Resumo do dia: Corrida da vacina para não virar maratona

(por Lucas Collazo)

 Mercados amanhecem em recuperação após correção de ontem, na expectativa de mais resultados na “corrida das vacinas”. Nos EUA, os futuros sobem entre 0,9% e 1,1%, já na Europa, o Stoxx 600 sobe 0,36%.

Depois da Pfizer na segunda, a expectativa se voltam para a vacina da Moderna, que deve declarar resultados nos próximos dias. Mas é melhor segurar a emoção: a Agência Internacional de Energia (AIE) afirmou que a demanda global de petróleo não verá o efeito da vacina até o final de 2021, enquanto os presidentes do Banco Central europeu e britânico alertam sobre uma euforia prematura quanto a vacina.

Eleições norte-americanas: a China cumprimentou a vitória de Joe Biden, que também confirmou ter vencido no estado do Arizona, o que torna mais difícil um processo onde o atual presidente Donald Trump conteste o resultado.

Enquanto isso, os investidores seguem na discussão sobre uma mudança na estratégia de investimento em empresas – uma rotação chamada de “value x growth” (valor vs crescimento), onde os investidores passam a focar em ativos de valor e não mais naqueles com horizontes de crescimento muito expansivos, como vinham fazendo ao longo deste ano.

Vale lembrar que, historicamente, as ações de valor tendem a superar as de crescimento no longo prazo, mas, de cerca de 10 anos para cá, essa lógica já não parece mais tão clara.

Aqui no Brasil,  atenções voltadas para as eleições municipais que acontecem no domingo. O resultado tende a ser usado para medir o capital político que pode ser empenhado para avançar nas discussões do espaço orçamentário para o Renda Brasil – ainda que as definições devam ficar apenas para dezembro. Ainda repercute a fala de Paulo Guedes na manhã de ontem, dizendo que, caso haja uma segunda onda de coronavírus, a prorrogação do auxílio emergencial é uma certeza.

Fonte: Rico